04/04/2010

Eu aprendi

Comecei a aprender mais um pouco sobre mim. Sou uma pessoa que ama a família e [hoje] dá valor somente aos amigos que realmente dão o retorno com carinho, atenção e sinceridade. Acho que descobri que ser bonzinho não é suficiente para alçar vôos altos e ter seus objetivos atendidos, mas não é preciso puxar o tapete de ninguém. O importante mesmo é saber cair do tapete que algumas pessoas insistem em puxar. No final, tudo dá certo de algum jeito. Eu me acerto, eu tropeço, mas não passo do chão. Eu suporto a colisão. Aprendi que o segredo de viver bem é cultivar uma boa saúde dosada com um pouco de aventura e também sede de conhecimento e vontade de descobrir coisas novas. Até agora, a vida tem me dado muitos ensinamentos. Aprendi na dor e no amor e, posso afirmar tranquilamente, que quando passei pela dor tive vários insights, lembranças e, realmente, foi o momento que acordei do pesadelo que passava e despertei para uma nova vida. Foi quando pensei: “é a hora da virada”!

A profissão exigiu de mim que eu também que passasse por momentos de riso e de choro e fizesse algumas escolhas, mas que me beneficiassem em primeiro lugar, porque percebi que sou o protagonista de minha própria vida, mas o mundo não gira somente ao meu redor e, por isso, tem os outros atores que insistem em querer cuidar da sua vida. Falam mal, falam bem ou então simplesmente falam para terem o prazer de falar de alguém. Mas, hoje eu não ligo mais. Aprendi que o que realmente importa é o que você sente. O sentimento que vem da sua família, de seus amigos mais próximos e, por que não, dos seus colegas de trabalho. E aprendi a sentir que um abraço carinhoso, um beijo estalado e um aperto de mão valem muito mais do que presentes e agrados. As palavras proferidas que vem do coração como: “Eu te adoro”, “Eu te amo”, “Você é muito importante” devem ser ditas com mais freqüência para os que realmente precisam e merecem ouvir. Eu também gosto de ouvir, desde que a pessoa tenha a vontade de dizer. Nada forçado vale a pena. Aprendi também que forçar uma amizade que não dá certo é retrocesso. O coração precisa bater no ritmo de um jovem e não sofrido como uma bomba relógio pronta para explodir no momento que menos espera.

Aprendi a cuidar de mim, de cultivar as melhores amizades, de valorizar a família e de trabalhar dentro dos meus limites. Considerar esses fatores equilibrados, sem exageros para não sofrer mais de um lado do que do outro, mas sim da maneira que deve ser. Aprendi que fazer academia, pedalar, estudar inglês e fazer coisas que você sempre teve vontade, mas não tinha coragem ou iniciativa para fazer. Eu aprendi a correr atrás dos meus sonhos e de lutar pelo que sonho tendo meus momentos de lazer ao lado de quem realmente gosto. Fica a dica: Isso e muito mais libertam qualquer pessoa de prisões diárias que a vida insiste em amarrar.

2 comentários:

Teste disse...

Gustavo, parabens pelo texto. Gostei muito. É maravilho a ideia de viajar para dentro de si e se conhecer cada vez mais. Parabens e saiba que sempre há algo novo a ser descoberto em nossas almas. Um super abraço. Rodrigo, mesmo que distante, presente.

Fabiane Dias disse...

Lindas palavras Gu. É incrivel como algumas pessoas ainda conseguem me surpreender. No melhor sentido da frase. A gente passa por tantas coisas na vida e é justamente nos nossos momentos de fraqueza, que nos superamos e conseguimos dizer coisas lindas como estas no seu blog. Posso dizer que sou sim mais "experiente" que você, não só pela idade, mas pelo que a vida já me preparou, mas ainda sou sim capaz de me encantar com pessoas que tem muito a me ensinar também.. como por exemplo você! Te adoro meu amigo!!!